sábado, 20 de outubro de 2007

"Vamos celebrar
A estupidez humana
A estupidez de todas as nações
O meu país e sua corja
De assassinos
Covardes, estupradores
E ladrões...

Vamos celebrar
A estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso estado que não é nação...

Celebrar a juventude sem escolas
As crianças mortas
Celebrar nossa desunião...

Vamos celebrar Eros e Tanatos
Persephone e Hades
Vamos celebrar nossa tristeza
Vamos celebrar nossa vaidade...

Vamos comemorar como idiotas
A cada fevereiro e feriado
Todos os mortos nas estradas
Os mortos por falta
De hospitais...

Vamos celebrar nossa justiça
A ganância e a difamação
Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos
Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras
E seqüestros...

Nosso castelo
De cartas marcadas
O trabalho escravo
Nosso pequeno universo
Toda a hipocrisia
E toda a afetação
Todo roubo e toda indiferença
Vamos celebrar epidemias
É a festa da torcida campeã...

Vamos celebrar a fome
Não ter a quem ouvir
Não se ter a quem amar
Vamos alimentar o que é maldade
Vamos machucar o coração...

Vamos celebrar nossa bandeira
Nosso passado
De absurdos gloriosos
Tudo que é gratuito e feio
Tudo o que é normal
Vamos cantar juntos
O hino nacional
A lágrima é verdadeira
Vamos celebrar nossa saudade
Comemorar a nossa solidão...

Vamos festejar a inveja
A intolerância
A incompreensão
Vamos festejar a violência
E esquecer a nossa gente
Que trabalhou honestamente
A vida inteira
E agora não tem mais
Direito a nada...

Vamos celebrar a aberração
De toda a nossa falta
De bom senso
Nosso descaso por educação
Vamos celebrar o horror
De tudo isto
Com festa, velório e caixão
Tá tudo morto e enterrado agora
Já que também podemos celebrar
A estupidez de quem cantou
Essa canção...

Venha!
Meu coração está com pressa
Quando a esperança está dispersa
Só a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão
Venha!
O amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera
Nosso futuro recomeça
Venha!
Que o que vem é Perfeição!.."

"Pegue duas medidas de estupidez
Junte trinta e quatro partes de mentira
Coloque tudo numa forma
Untada previamente
Com promessas não cumpridas
Adicione a seguir o ódio e a inveja
As dez colheres cheias de burrice
Mexa tudo e misture bem
E não se esqueça: antes de levar ao forno
Temperar com essência de espirito de porco,
Duas xícaras de indiferença
E um tablete e meio de preguiça"

"E a nossa história ... não estará pelo avesso assim sem final feliz ...
Teremos coisas bonitas pra contar ...
E até lá vamos viver ... temos muito ainda por fazer ...
Não olhe pra tras ... apenas começamos ...
O mundo começa agora ... ahh!
Apenas começamos!"

Várias partes de música do Legião Urbana. Essa semana tive um "ataque" musical com Legião, peguei uns 3 CDs da sala e botei pra ouvir, alguns trechos se destacaram, como esses.
Legião escrevia aquelas músicas cabeça, tipo MPB(quase que eu ditigo um 3 no lugar do B) dos anos 60, que falava do Brasil da época, indignados com a realidade. Mas no MPB era aquelas indiretas, criticavam coisas mas com outras palavras, mas o Legião diz isso na lata. Claro, na época não tinha censura.
Falando em censura, vi um filme muito bom ontem, O Ano Em Que Meus Pais Saíram de Férias. Mas isso é pra amanhã!
E mesmo que Perfeição não seja tão recente, as coisas que diz se encaixam tão bem na nossa realidade atual.

Um comentário:

Juliana disse...

ahhh
lindo xuh!

Musicas demais mesmo adushduhas

e o pior de tudo isso
é que eles estão certos >_<
A musica mostra certinho toda a realidade do pais neah?

Te amo
=**