domingo, 2 de março de 2008

Palavras de noite

Porque eu abro, inutilmente, esta janela esperando que algo surja? Assim do nada? Quem sabe um olá ou algumas palavras. Mas elas vem surgindo, assim como as lembranças de ontem à noite. Algumas são irrecordáveis pelo simples fato de terem sido consideradas não comentáveis.
E a intensidade vai aumentando, a cor e a força do traço ganha igualdade daquilo que venho me acostumando. Como meus sonhos contigo são a minha própria vida, e o desejo de vida vem se tornando sonhos. E ríamos juntos de coisas distintas, porque a dele não era a minha, a minha talvez seja a tua.
Nem percebemos que o tempo passa, as palavras não fazem sentido. Mas o sentido do sentimento contido não tem cabimento, porque o sentimento para mim é grande. Tudo o falado e imutável é insignificante ao teu ler, mas caso esteja dentro do traço, tudo vira o mundo.
A partir daí os traços viram os sonhos e os sonhos deixam de existir, por ser minha vida se completa, o seu fim já pode vir, então se o imutável vira nosso sono e a gente dorme nele sem escrúpulos, a gente ama os olhos. A gente se ama na alma.
O que talvez não esteva escrito, mas esteja explicito, é que a forma de comunicação da boca vem com o beijo que eu te dei na noite passada. E se o irreconhecível lhe torna mais e mais não contido, lhe desenho um bom partir.

3 comentários:

Anderson disse...

sorry May... estou muito cansado, hoje é sexta-feira e amanhã ainda trabalho...

não estou conseguindo absorver teu texto hoje... (ps: demorei uns 5 minutos pra tentar lembrar o que eu ia escrever, pra você ver como tá o meu sono... x__X)

bom... desculpe né... mas quem sabe amanhã quando eu voltar do serviço eu comento... isso se eu não estiver mais cansado ainda xD

beijooo

te amo amo amo¹²³¹²³²¹

^^

te cuida!

wow_hajikero disse...

Nossa, may, virei seu fã!!
você escreve de uma forma que tocam nossas almas...
Beijoo
Amo você.

Juliana Bonetti disse...

"a dele não era a minha, a minha talvez seja a tua."

meu Deus!

Maravilhoso! *-*