quinta-feira, 3 de abril de 2008

Pode não parecer

As amigas estavam orgulhosas da garota que, finalmente, completava 15 anos. Fora improvisada uma pista de dança na varanda da casa, onde os convidados da festa se acomodavam em cadeiras ou embaixo das luzes que piscavam no mesmo rítmo da música. Riam, conversavam dançavam. A garota perambulava de um lado ao outro atendendo os convidados, conversando com os pais, pulando e tirando fotos.
Algumas pessoas até se arriscavam de dançar no gramado, onde era mais fresco e lhes davam um impressão de rave. Ela os acompanhava às vezes, principalmente quando naquelas rodas viravam discussão sobre algo que deveria ocorrer naquela festa.
Jamais poderia estar mais feliz, até que o garoto mais bonito da festa chegou, ele que havia feito ela ter se apaixonado. Sentiu que, depois daquilo, nada mais seria relidade, tudo poderia ser facilmente comparado aos filmes americanos que ela adorava assistir.
Foi quando, a pista estava lotada por todos que dançavam e depositavam ali sua energia, ele se aproximou. Eles se fitaram, com tanto sentimento quanto deveria, e dançaram juntos. As amigas, atentas, notaram o que estava ocorrendo, não demoraria muito e logo eles fariam o que estavam enrolando para fazer. Os dois se olhavam, se abraçavam, a espectativa começava e aumentava. Todos os curiosos se concentraram neles, o casal, algumas garotas deram as mãos e aguardavam, ansiosas, o momento.
Quem disse que os filmes não são relizados na nossa vida? O rosto dos dois se aproximaram e se beijaram. Poucos instantes após isso, as garotas começaram a gritar, logo todos os outros convidados faziam o mesmo e aplaudiam. A aniversariante não se contentava e, para agradar ao público, não fez outra coisa a não ser beijá-lo.

Um comentário:

Anderson disse...

=OOOO que jeito ótimo de se narrar um fato real! =OOOOO

gostei! *___*

ficou demais! ^^

beijos may! te amo muito! ^^