sexta-feira, 26 de setembro de 2008

A Música

Em uma noite silenciosa, onde os versos e notas ecoam, onde nos apaixonamos por eles e pedimos que se casem conosco, que se casem com nossos sonhos e lembranças.
Ela atrai aquelas cores do nosso dia; a paixão, a alegria, a liberdade e até mesmo a loucura. As cores que combinam com as coisas e com a múscia.
Poderia ser um falecer do Sol ou nascer da esperança, quem sabe o selo dos amantes ou o relógio da mesa.
Uma breve liberdade, o vendo que coiça os cabelos fazendo sua alma profunda como aquilo que te prende. Quem sabe uma estranha sensação de alegria. Ou satisfação.



Escrito em 2007, ouvindo 22-11 do Teatro Mágico enquanto se segue o suplemento de leitura do livro "Desenho Mudo".

Um comentário:

Anderson disse...

Esplêndido!

me desculpe, mas foi a única palavra que encontrei no meu estado atual...

bom... depois preciso entrar em detalhes com você...

beijos... cuide-se ^^

(L)