terça-feira, 9 de setembro de 2008

Pó de café

É um vício. Ela sempre punha um café na mesa. Minuciosamente, experimentava um odor a cada conto: cada cafeteria tem seu pó. Ela queria todos.
Visitou os das páginas laranjas da revista e fazia questão de ir sempre aos favoritos.
Se você sempre encontrar alguém em um café com poltronas, lustres diferentes, quadros parasienses, placa de 24h ou até mesmo um mezanino, é por causa dela.
Sua casa era um café, seus melhores momentos se passavam em um com grandes janelas e bancos aconchegantes.
Seus sonhos tinham uma boa música e um copo de papel com cappuccino quente com muito chocolate.
Eu confesso, ela sou eu.

3 comentários:

Mário Cau disse...

Um brinde de café ao texto, maninha!
Viva a cafeína, que tem me ligado nas manhãs cedíssimas!

Eu adoro os coffee monsters da Samanta. Vc já viu eles?

Bjão! 8- )

Anderson disse...

infelizmente deixei de gostar de café após vir ao Japão...

o café daqui é muito ruim...

até os que eu tomei da starbucks que vende em lojas de conveniência são ruins... >.<

mas tá bom... me contento com os chás xDDD aaehueahuaehuaehae

beijos May! (L)

Mário Cau disse...

Eu também odiei o café nos EUA...
Café bom mesmo, é aqui!