segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Roxo

Você não conseguia ver as flores no jardim, seu dia começou mal, começou sem sol. Queria poder fazer algo para colorir o que quase estava perdido, chamar o seu sorriso.
Parecia que tudo ia te engolir, as paredes te prendiam e a roupa te sufocava. Pouco era o que você fazia para muito ter o que sofrer.
Seu sorriso me contagia, fico tão bem ao te ver assim. Mas quando as asas negras voam sobre você, é como se elas também viessem em minha direção.
Sentei no sofá e deitei sua cabeça no meu colo. Seus olhos me fitavam, com um carinho imenso, agradecendo por uma coisa boa no dia. O que você não sabe é que tive que engolir tudo o que sentia e te ouvir, só para o sol brilhar no teu dia.

Escrito no dia 22 de junho de 2006.

2 comentários:

Anderson disse...

=OOO

tá, cada dia mais perco a criatividade dos meus comentários...

mas como sempre tu tá escrevendo muito bem...

e tem uma pitada de indireta pra alguém aí xDDD

beijooo

(L)

Mariana Guerra disse...

Uma indireta velha