sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Entre portas e trovões

Chove dentro de seus olhos; eles não são azuis, são cinza. Sua boca parece um escoamento de sangue, rosa, assim como as mechas do cabelo.
Gabriela sempre me é miseriosa, gosta de lugares vazios e escuros, como sua própria mente. Não gosta de sorrir, muito menos para mim. Tem um gato e mora com uma colega da faculdade; a garota nunca está em casa, trabalha muito.
Gabriela tem um pijama preto e outro de estrelas, os usa no inverno. Eu sempre estou na casa dela quando acorda, Gabriela tem o rosto amassado de aproveitar a noite sozinha.
Quando sai para a faculdade, seu cabelo ruivo parece um segundo sol, ruivo. Sua pele é branca, intocável; jamais a vi com um homem.
Quando chove em seus olhos, não chove para mim; afinal sou apenas seu [...]

[fragmento perdido]

Um pequeno texto escrito bem tarde mesmo no dia 12 de julho de 2008; sozinha com a Carol em Amparo. A casa e o mundo eram só nossos. E nós escrevemos muito naquela noite.

Um comentário:

And Yoshi disse...

*__*

perfeito texto! @__@

nossa quero ver o que mais vocês escreveram! \o/

@__@

beijos May! love you~