terça-feira, 10 de março de 2009

Às escondidas...

Todos os dias nós vemos casos - ou o mesmo caso todos os dias - de relações "não-assumidas". Geralmente os motivos das pessoas famosas são diferentes dos simples mortais. As celebridades, provavelmente, omitem para a mídia o relacionamento para proteger sua privacidade ou até mesmo porque tudo não passa de uma simples ficada.
Já as pessoas comuns têm como motivos a proteção de uma terceira pessoa, que pode magoar-se ou sentir-se traída, ou até evitar uma briga; no caso de algumas adolescentes, os pais proíbem o envolvimento com aquela ou qualquer pessoa, conheço o caso - o meu caso, por acaso - também de um parente qualquer(tio, primo, irmão...) ter essa atitude repreensiva.
Seja qual for o tipo de pessoa ou relação, o direito de privacidade deve prevalecer. Até o senso comum defende o fato de ninguém poder se meter na vida dos outros. Mas que a gente fica curioso, a gente fica!


Texto para o site da Capricho.

Percebam, agora eu tenho selo de colaboradora :D
O orgulho!!!

5 comentários:

Anônimo disse...

Senso comum de quem? Da mesma sociedade que, por exemplo, aceita ser atraída por meios sexuais a consumir, mas que não aceitar o sexo como normal à espécie, afinal se você é uma pessoa que fala ''transar'' sem fazer cara de tímida, ou em baixo som, você se torna marginal ou, no mínimo, exótica? Esta sociedade que menciono aqui, e acredito que seja a mesma que cria o senso comum que você menciona, tem como regra a vigilância moral Guerra. Microfísicas do poder, ou seja, não necessariamente um estado precisa vigiar sua população para seus interesses, pois ela mesma se vigia baseada na moralidade com a qual ela é alimentada no processo de emburrecimento educacional, logo, crítico que passamos. Adoraria entender o porquê disso, ou seja, exatamente como essa relação de poder das microfísicas funcionam, mas ainda não sei.
Espero que não me leve a mal pois não quero te criticar, mas sim questionar coisas interessantes contigo, só isso.

Abraço Guerra.

Mariana Guerra disse...

Sr. Anônimo,
Eu faço parte dessa sociedade e não entendo como ela funciona.
Isso é só um texto escrito por uma adolescente que começou a ter aulas de filosofia agora a pouco.
E, sem dúvida, esse é o método de Sócrates. Muito interessante.
Eu sei que tem muitas coisas erradas na sociedade, mas eu nem sei como dizê-las sem parecer clichê.

Agora eu preciso me lembrar quem é que me chama de Guerra....

And Yoshi disse...

é, realmente há diversas situações que nossos pais acham que devem interferir por querer o nosso bem... mas não é bem assim...

somos seres que aprendemos com os erros e pra aprender temos que errar...

por mais que tenham pessoas que não saibam construir coisas positivas através de seus erros muitos de nós amadurecemos mais conforme erramos...

as vezes também, eles fazem isso pra não fazermos o mesmo que eles... mas também não é correto pensar assim né...

pois cada um é cada um... cada cabeça pensa diferente da outra...

cada pessoa toma suas próprias decisões, realmente ter pais que se preocupam demais (preocupam demais por que é assim que eles pensam) é uma coisa boa e ruim ao mesmo tempo...

bom, curiosidade é o que não falta nas nossas mentes...

se o ser humano não fosse curioso, não estaríamos aqui hoje e ainda estaríamos comendo carne crua ou sei lá o que mais se fazia a séculos atrás SAEahuehas

beijos May! (L) espero que você encontre quem seja o anônimo acima! SHUEHUSHUASE

Anônimo disse...

Entnao aproveite as tuas aulas de filosofia, mas sempre se pergunte o seguinte: a qual lado servirá esta linha filosófica que estou recebendo?

Abraço querida Guerra!

Joy disse...

Isso engloba, filosofia de vida, de criação, educação, liberdade de imprensa. Contexto social no geral. Acredito que devemos ter bom senso em relação ao próximo !
Bjocas e curti o texto !
Me visite mais!