quinta-feira, 30 de abril de 2009

Testemunho do meu mundo

Eu sempre pensei de um jeito. Só daquele jeito. Acho que é coisa de família, ou melhor, era. Porque agora eu ando pensando diferente.
Para certas pessoas eu adotava uma postura, mas com outras minha postura era totalmente oposta, o que me incomodava era que as situações eram as mesmas. E eu me achava uma vendida pela opinião dos outros.
Ás vezes eu posso até ir com o fluxo, mas isso tá mudando.
Ninguém faz idéia do como eu quero pegar meu celular e ligar pra uma pessoa que todos os meus amigos me chamariam de burra por fazê-lo(sim, eu confirmei, eu desabafei sobre a possibilidade com a minha amiga, ela disse que eu era muito burra).
Decidi seguir o coração e deixar a razão no mute. Sei lá, acho que é porque ele tá gritando isso a muito tempo e ela comandou o bastante.
Basta, eu vou regredir um pouco. Quem sabe voltar uma casa não vai me dar de brinde uma carta de avançar 3.

3 comentários:

Telma disse...

te digo: faça o que tem vontade.
é gostoso ser 'burra' as vezes (rs)

...

And Yoshi disse...

faço da Telma as minhas palavras!

eu sei o que é seguir somente a razão, aliás eu sei o que é ter medo de seguir o coração...

eu sempre digo pra todos: "siga seu coração, etc etc." mas eu sou bem daquele jeito: "Faça o que eu digo mas não faça o que eu faço!" saueuasuUEUESUUE

beijos May! foi muito bom conversar contigo hoje! ;D

(L)

Mário Cau disse...

É, eu sei bem o que é isso.
Difícil encontrar um equilíbrio entre Razão e Coração, esses dois birrentos.

Concordo com a Telma, e ainda digo mais: burrice é ficar amortecido pela razão o tempo todo e deixar de SENTIR. Mesmo que seja dor.
Mas sentir.

E adorei a analogia do jogo de tabuleiro!

Mas lembre: quem joga dos dados é VOCÊ.

Beijo!