terça-feira, 30 de junho de 2009

domingo, 28 de junho de 2009

Eu sentava na primeira carteira

Eu tenho certeza de uma coisa, a maior parte dos professores são chatos para só alguns serem legais e se destacarem ainda mais entre os outros. Tive um professor que, durante o primeiro ano dando aula para mim, era o mais odiado. Mal lembro dos meus motivos, talvez porque fosse inexperiente.
Mas, depois de muita convivência e muita gramática, fui pegando gosto por ele. Fui vendo que aquele ruivo barbudo era da raça que eu mais admirava, os artistas.
O André acabou se tornando meu professor de literatura e me mostrou(sem querer) o que eu queria da minha vida: ser escritora. Cheguei a quase chorar em uma de suas explicações sobre coita d'amor. Digamos que depois disso ele se tornou um semideus para mim. Era a pessoa que detinha o conhecimento sobre as coisas que eu mais amava.
Todo mundo diz que professor bom é aquele que transmite da melhor maneira os ensinamentos. O André não fazia simplesmente isso, ele doava parte do amor dele pela literatura.

Texto para a Revista Capricho, mas que tem MUITO sentimento embutido!
Te amoooo, André!!

sábado, 27 de junho de 2009

King of pop


Todo mundo sabe que o Sr. Micheal Jackson morreu nesta quinta. Motivada por milhões de clipes, documentários, notícias e opiniões que eu vi na TV, pensei em escrever um post em homenagem a ele. Desde que eu nasci ele já era um cara estranho. Lembro do dia em que descobri que ele era negro, toda a minha infância ouvi falar dele e de suas músicas, do passinho moonwalker, mas até fazer 10 anos não sabia que ele era originalmente negro. Daí eu comecei a achá-lo mais estranho, além de se parecer com uma mulher.
Só quando eu cresci mais fui vendo outras coisas que o Sr. Jackson fez. Construiu Neverland, fez tratamento para mudar de cor, fez o maior sucesso com Thriller, quando eu tinha 13 anos me assustei quando ouvi um CD do Jackson Five e ouvi várias músicas que eu adorava, ele deixou o filho suspenso da sacada de um hotel. Por essas e outras comecei a não olhá-lo com bons olhos. "Micheal Jackson é um louco e se eu o visse na minha frente sairia correndo", era isso o que eu pensava, até o verbo "ser" começar a ser conjugado como "era".
Como já disse, depois de sua morte fui afogada por um 24h por dia de Micheal Jackson, então comecei a ter mais informações sobre a vida dele. Casou com a filha do Elvis, gravou o clipe "They don't care about us" com o Olodum em Salvador, era muito fofo quando tinha 11 anos, comprou o direito autoral de todas as músicas dos Beatles(ok, nessa eu fiquei com MUITA inveja), fez doações para instituições voltadas às crianças.
Micheal, assim como a nova Maísa, não teve a infância que todas as crianças tem. Começou a trabalhar com 5 anos e seu pai sempre o obrigava a ensaiar, entre 6 à 10 horas por dia. Depois de crescer transtornado, mudou completamente seu corpo e descobriu em Peter Pan seu sonho, o de nunca envelhecer. Acho que podemos dizer que isso nunca aconteceu, as cirurgias plásticas mantiveram o físico até morrer aos 50. Bom, dizem que a vida começa aos 50, não é mesmo?
Ontem que estava assistindo Band, um dos canais que passavam algumas imagens(naquele momento os outros passavam filmes ou propagandas), o apresentador começou a falar do Sr. Jackson. Disse que foi um péssimo exemplo para o mundo, que ele cometeu atrocidades, foi um louco, não vivia no mesmo mundo que nós, apesar de ter sido o rei do pop. Aquilo me deixou com raiva. O apresentador nem se explicou, assim como todo mundo que o criticava, não disse que, provavelmente, ele tinha problemas psicológicos. Deixou por isso e começou a anunciar outra coisa.
Foi isso que deu inicio a meu novo modo de pensar. Micheal era um louco! Assim como todos nós, assim como todos os outros artistas, a única a diferença é que ele era bem mais. Micheal não vivia no mesmo mundo que nós, porque isso tem que ser ruim? Ele tinha sorte de se entregar ao seu mundo, mas ao mesmo tempo azar por continuar vivendo nesse. Acho que deu para perceber que quando se trata de loucura, eu defendo o louco. Lógico que eu não concordo com tudo o que ele fez, foi péssimo ter abusado de crianças e não ter assumido o próprio corpo, mas parece meio claro para todo o mundo que foi por causa de seus problemas mentais.

Desde que me dei conta que ele era um artista louco, ao mesmo tempo gênio, comecei a admirar o Sr. Jackson. Eu ainda tenho excessões, admirá-lo quando criança, fofinho no Jackson Five, admirar o moonwalker(ainda quero aprender direito) e diferir o King of Pop da pessoa Micheal Jackson.
A morte dessa pessoa que sempre foi bem afastada da minha realidade, me ensinou muita coisa(isso porque aconteceu há menos de dois dias). Me ensinou que eu não devo continuar com os meus conceitos de quando eu era criança. Vou continuar tendo medo das fotos em que ele parecia uma mulher alterada, mas vou começar a vê-lo como seu sogro, um rei. E, também como seu sogro, ele não morreu, apenas voltou para seu planeta de origem.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Palavras

Ele é previsível de longe. Aquele cabelo jogado na cara pode o disfarçar, mas quando noto que usa óculos escuros e o de grau fica preso à blusa, eu sei quem é. Ele sorri de um jeito diferente, ele ri da maneira dele. Conheço suas fases, conheço suas doenças, conheço seus delírios.
Os traços que saem a partir de sua mão é algo que encanta, que copia seus desejos e suas verdades, ele mente bem. Mente tão bem que eu já o vi em vários cantos de páginas, talvez centralizado. Mas ele sempre está ali.
Suas palavras podem ser apenas letras, mas eu sei o real significado delas. Eu consigo ler em suas cartas o que o coração dele insiste em deixar quieto, mas eu espero nunca ter que desenvolver o assunto. Ele próprio me ensinou como decifrá-lo.
Quer saber quem eu sou para lhe contar os segredos? Talvez não seja tão mal assim. Porque eu sei como as coisas andam, eu sei quando eu tenho que ir junto. Então, o momento certo, é o momento que você o lê. Eu sou seu papel.

domingo, 21 de junho de 2009

Noite

Seus olhos se demoraram sobre os dela. Seus olhos vasculharam o corpo dela. Seu abraço a envolveu. Seu sorriso a convidou. E do convite, nada se seguiu.

Fim

Decidiu por tomar um copo de vinho, acabando com sua vida, porque aquilo seria a última coisa que poderia ter a coragem de fazer. O pior não era a mágoa, era a raiva, ela não queria sentir aquilo; vê-lo fazendo aquilo tirava sua coragem de recomeçar. Era a mesma roupa, aquela jaqueta que já lhe cobriu no frio; aquela boca que beijou a outra na boca, e, depois, no pescoço. Prestes a cometer uma traição, talvez sim; tinha fúria no olhar enquanto via a cena do filme que era a sua vida. Ele a amava, dizia isso todas as tardes frias em que a abraçava ou quando a levava para conhecer as montanhas, ele não mentia. E quando ela se deu por si, a vida reprisava em sua retina, como se o fim estivesse próximo. Mal chegou na festa e já se deparou que nada ia bem, a noite não ia ser longa, porque a noite acabara naquele olhar. Ela se arrumou tão bem, nunca se sentiu tão linda, e ia vê-lo, o amor de sua vida.

domingo, 14 de junho de 2009

Imigrações

Os gregos migram para o Brasil e seus descendentes nascem loiros de olhos azuis para tentar garotas comuns.

domingo, 7 de junho de 2009

sábado, 6 de junho de 2009

Capitu

Letra: Zélia Duncan
Foto: Tudo que é sólido pode derreter




Capitu
A ressaca dos mares
A sereia do sul
Captando os olhares
Nosso totem tabu
A mulher em milhares

Capitu
Feminino com arte
A traição atraente
Um capitulo a parte
Quase vírus ardente
Imperando no site
Capitu

terça-feira, 2 de junho de 2009

A Dido me entende




Thank you
Dido

My tea's gone cold
I'm wondering why I got out of bed at all
The morning rain clouds up my window
And I can't see at all
And even if I could it'd all be gray,
But your picture on my wall
It reminds me that it's not so bad
It's not so bad

I drank too much last night, got bills to pay
My head just feels in pain
I missed the bus and there'll be hell today
I'm late for work again
And even if I'm there, they'll all imply
That I might not last the day
And then you call me and it's not so bad
It's not so bad and

I want to thank you
For giving me the best day of my life
Oh just to be with you
Is having the best day of my life

Push the door, I'm home at last
And I'm soaking through and through
Then you handed me a towel and all I see is you
And even if my house falls down now
I wouldn't have a clue
Because you're near me and