domingo, 28 de junho de 2009

Eu sentava na primeira carteira

Eu tenho certeza de uma coisa, a maior parte dos professores são chatos para só alguns serem legais e se destacarem ainda mais entre os outros. Tive um professor que, durante o primeiro ano dando aula para mim, era o mais odiado. Mal lembro dos meus motivos, talvez porque fosse inexperiente.
Mas, depois de muita convivência e muita gramática, fui pegando gosto por ele. Fui vendo que aquele ruivo barbudo era da raça que eu mais admirava, os artistas.
O André acabou se tornando meu professor de literatura e me mostrou(sem querer) o que eu queria da minha vida: ser escritora. Cheguei a quase chorar em uma de suas explicações sobre coita d'amor. Digamos que depois disso ele se tornou um semideus para mim. Era a pessoa que detinha o conhecimento sobre as coisas que eu mais amava.
Todo mundo diz que professor bom é aquele que transmite da melhor maneira os ensinamentos. O André não fazia simplesmente isso, ele doava parte do amor dele pela literatura.

Texto para a Revista Capricho, mas que tem MUITO sentimento embutido!
Te amoooo, André!!

4 comentários:

Srtª Lu Conegero disse...

Adorei Mariana! Também passei a amar mais ainda literatura quando tive o André como professor. A paixão que ele passa ao falar sobre literatura é simplesmente linda! Tenho muitas saudades! ;*

Hadassah disse...

Sempre tem um professor especial.
A minha é de historia.
Gostei do novo layout.
bjs

Ana disse...

kosakosakksakosako vc tem toda razão!
parabéns pelo teu blog!
acesse:
Atelier do Sofá
Fortal Piscinas
NAMP
Contabilidade Mantiqueira

cla. disse...

Ai que lindo *-*