quarta-feira, 24 de junho de 2009

Palavras

Ele é previsível de longe. Aquele cabelo jogado na cara pode o disfarçar, mas quando noto que usa óculos escuros e o de grau fica preso à blusa, eu sei quem é. Ele sorri de um jeito diferente, ele ri da maneira dele. Conheço suas fases, conheço suas doenças, conheço seus delírios.
Os traços que saem a partir de sua mão é algo que encanta, que copia seus desejos e suas verdades, ele mente bem. Mente tão bem que eu já o vi em vários cantos de páginas, talvez centralizado. Mas ele sempre está ali.
Suas palavras podem ser apenas letras, mas eu sei o real significado delas. Eu consigo ler em suas cartas o que o coração dele insiste em deixar quieto, mas eu espero nunca ter que desenvolver o assunto. Ele próprio me ensinou como decifrá-lo.
Quer saber quem eu sou para lhe contar os segredos? Talvez não seja tão mal assim. Porque eu sei como as coisas andam, eu sei quando eu tenho que ir junto. Então, o momento certo, é o momento que você o lê. Eu sou seu papel.

2 comentários:

cla. disse...

eu gosto tanto dos seus textos.
consigo imaginar várias situações nesse mesmo contexto, mudar os personagens e não a história (:

Francisca Nery disse...

querida, também sou do TDB.. preciso falar contigo.. se você não chegou a receber meu recado, me avisa no orkut, o link tá no meu blog (: