domingo, 30 de agosto de 2009

Desencontros

45min26s
—Então, aconteceu uma coisa engraçada semana passada.

-68h15min09s
"Um cara veio me cumprimentar e eu não reconheci ele de cara. Disse que gostava do meu trabalho. Daí que eu olhei bem pra cara dele e eu reconheci"

46min03s
—Eu tava com receio de te contar.
—Não, tudo bem.

46min58s
Os batimentos cardíacos aumentam, o estômago revira, os pêlos se arrepiam e o canto direito do lábio se estica em um leve sorriso.

46min59s
—Mas é uma estranha coincidência.
—Achei que talvez isso te deixasse mal.
—De jeito algum. Não me faz mal.

47min11s
—Apenas me causa um sentimento.
—Entendo.

-68h16min20s
Olhos abertos apesar de estar deitada há duas horas.

47min16s
—Às vezes me acho idiota por continuar nesse jogo insano.
—Você está falando com um especialista em jogos insanos.
—Estamos competindo.

-68h03min43s
Ele fita o vulto dela no meio da escuridão de sua retina.

47min38s
—Ficamos a mercê deles.

+2h06min01s
Seus dedos digitam: "ele me contou do encontro engraçado".

+2h15min07s
Ele se pergunta se aperta send ou não.

Um comentário:

Mário Cau disse...

Absolutamente deliciosas essas poesias da vida real.
Parecem ficção.
Ou são?

Malas cheias de tempestades.

8- D

Papo gostoso queimando créditos!