quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Meio Termo Café — Extra — O Início

Um café serve para pensar nas coisas. Sentar e tentar substituir o cheiro dele de ontem a noite pelo aroma marcante do café.
Ela se senta e pede uma torta de chocolate para acompanhar o café. Se serve do guardanapo para apagar as lágrimas dos olhos.
Aquelas lembranças ruins impregnavam a alma dela. Cada palavra que a machucou. Mas ela se lembra do telefonema, e se acalma comendo a torta.
O café a acorda daquele pesadelo. O riso dele a marcou(assim como uma boca após comer brigadeiro) e as palavras a consumiram(como a tristeza de um corpo após um banho de chuva).
Não consegue se esquecer do cheiro dele, do azul do lado e do gosto do chocolate derretido. Ele fez ela rir tanto, a fez tão feliz. Não entendia porque a outra a fez sofrer tanto.
Crente, tomava o café, tudo iria melhorar. Naquela tarde divertida de verão, ela foi feliz; mas na noite, ela chorou.


Escrevi isso há quase dois anos, quando passava por momentos ruins, como vocês podem observar. Há alguns anos que o café entrou na minha lista de melhores amigos eternos. Sem ele, não há porque sair da cama todas as manhãs.
Vocês vão cansar de ler sobre café. Faço isso como uma forma de bom presságio.

Nenhum comentário: