sexta-feira, 19 de março de 2010

Adultecência

Hoje de manhã, apagando a luz do meu quarto(vejam bem, eu acordo antes do Sol), eu pensei no meu medo de adultecer. Quando eu tinha meus doze anos eu não via a hora de fazer quinze. Burrice minha, admito. E agora eu tenho medo de fazer dezoito(isso porque nem dezessete eu fiz), pois, ao completar essa idade, eu serei cada vez mais inserida na adultecência. Sim, eu sou uma pessoa bem anciosa.
Eu acho chato virar adulto. Sabe aquela coisa de trabalhar de manhã e a tarde, pagar o aluguel, lavar a própria roupa... ou pior, pagar uma empregada! Não tem nada pior que virar adulto.
Eu sei que é maravilhoso deixar de dar satisfação para os seus pais, controlar seu próprio dinheiro, se vestir como quiser, assumir sua sexualidade e coisas assim. Mas, pensa, virar adulto implica em não fazer mais festas do pijama, não deixar as coisas pra depois quanto estiver cansado.
Tenho medo de virar adulta, pagar o aluger do meu apertamento, esquecer de lavar minha própria roupa(e ficar um mês sem usar aquela malha preta só porque está suja), comer comida congelada(hamburger de soja, nuggets de legumes, lasanha de queijo).
É duro deixar mamãe de lado. Ela que lava minha malha preta, ela que cozinha pra mim(porque eu não sei nem fazer arroz, só macarrão), ela que paga o IPTU, o gás, o telefone, a energia elética.
Parabéns pra quem tem coragem de deixar a mamãe. Infelizmente um dia eu vou ter que adultecer e aprender a cozinhar arroz.

2 comentários:

.ponto disse...

Bem, então aqui vai uma dica: para cada xícara de arroz, vc utiliza duas de água.
Força garota, prometo que não é tão ruim assim. O processo é doloroso mais as consequências vão se mostrando bem válidas (sem dizer que a mãe pode sempre dar uma passada na sua casa, levando comida e outras coisas boas).

Até um dia, Guerra.

Marina disse...

Hahaha!! Acontece, viu! Mas relaxa que você ainda tem muuuito tempo! Ninguém precisa ter muita pressa pra sair de casa não (vide meu caso!), é só ir aprendendo a dar conta de si mesma, que aí tudo se torna possível! É melhor sair de casa confiante, 100% independente, do que sair de casa, fingir que mora sozinha, e ainda assim depender de um monte de gente (se é que você me entende!)

Beeeeijos!

Viu, só pra constar: anciosa é de ancião, ou seja, de velho! Rs! Acho que você quis dizer anSiosa!!