segunda-feira, 1 de março de 2010

Tudo acontece nos supermercados...

Se arrependimento matasse, eu não teria chego aos 16 anos. Mas arrependimento sempre deixa aquela sensação esquisita que acomete a gente quando menos esperamos. É só termos algo para lembrar. O arrependimento me deixou pensativa naquela tarde, me deixou olhando as marcas de shampoo para ocupar a minha cabeça com alguma coisa que não ele. Naquela tarde no supermercado o encontrei e, como se nada tivesse acontecido entre nós, dissemos um oi que durou 3 segundos, até ele virar no próximo corredor e continuar seu trabalho.
Não foi a primeira vez. E eu ainda não tenho resposta para a pergunta que formulei quando havia escolhido o shampoo de camolila, porque eu terminei com ele? Ele era maduro e divertido, eu simplesmente achei que estava chata e não dei nada para nós. Porque eu fui tão estúpida de ter terminado com ele?
Como eu disse, se arrependimento matasse, se o arrependimento de ter terminado com ele matasse, eu teria morrido com apenas 14 anos.
 Eu quero ter cada vez menos motivos para me arrepender. E quero ter nenhum motivo para morrer.

Um comentário:

And Yoshi disse...

É nós já tivemos algumas conversas sobre arrependimentos né?

Muita coisa aconteceu em nossas vidas que fazem esse sentimento de arrependimento aflorar, mas uma coisa que eu penso hoje é: Nunca mais vou me arrepender de nada.

E quando eu digo nunca, é nunca mesmo, já que sou leonino e teimoso! =D

Olha Mari, por mais que aconteçam coisas que podem fazer nos arrependermos no futuro, sabendo como é a sensação ruim e o gosto amargo que fica nas lembranças estar arrependido, nunca, mas nunca mesmo se arrependa de nada, arrependimento só serve para uma coisa, ensinar-nos a seguir em frente e não olhar para o que passou, jamais!

Beijos!