domingo, 13 de março de 2011

O banco

Sai do consultório que ficava em frente a praça. Atravessei a rua, me aproximei da maior árvore, sombreando um banco. Meu banco. Nosso banco. Sentada no banco era possível ver toda a praça, o lago, a ponte, as árvores e, a melhor parte, o céu emoldurado pelas copas. Olhando para aquele banco eu podia ver todos os bons momentos que tivemos ali. Só tivemos bons momentos. Nos encontrávamos toda terça naquele banco. Conversávamos, ríamos, nos beijávamos.
Não consegui sentar no banco. Não podia fazê-lo sem ele. Aquele deixou de ser meu banco para ser nosso banco. Era doloso ver aquele banco vazio. Era doloroso ver nosso templo abandonado, eu estava sozinha, orando por nossos momentos e nosso banco.

Um comentário:

Queeη Ŀ˚˚˚ disse...

Banco é o pior qndo o namoro acaba: até hoj, qse choro qndo olho pros bancos q eu sentava com meu ex na praça, msm nao gostando mais dele. Dá sdd :/